quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Eleição. Essa época nojenta em que candidatos suspeitos emporcalham a cidade com cartazes, santinhos, bandeiras e músicas de mau gosto tentando nos convencer de que depois da eleição nossa vida vai mudar. É quase como fazer guerra pela paz, or fucking for virginity. Tá, não é a mesma situação, mas cai naquela categoria de coisas que não fazem sentido. Tipo, aqui em Cuiabá botam uma turma pra ficar balançando bandeira de candidato. Você olha pros balançadores de bandeira no sol de 39 graus e a cara deles é


E as músicas, hein? Super me pergunto quem é que vota no sujeito porque ele tem uma música -ruim, diga-se de passagem. A única coisa que me passa alguma confiabilidade são as camisas azuis que 100% deles usam. (Menos a Dilma, e coincidentemente, vou votar na moça). Parecem moços muito trabalhadores com a camisa azul, mas até ontem, metade deles estava usando terno, e se envolvendo em escândalos, então é tão fake... Enfim, com certeza, não sou eu que eles pretendem pescar com isso tudo, o que me faz mais vítima ainda.

Aqui termina minha análise superficial do fenômeno eleições. Sem mais para o momento, agradeço a sua atenção.

Nenhum comentário: